Hino do Cantusca e sua história

Você conhece o Hino do Cantusca? Sabe como ele foi criado? Conhece a biografia de seu compositor? E o mascote do clube? Você conhece sua história? Confira algumas curiosidades sobre a criação de alguns dos nossos mais importantes símbolos.

O Hino do Cantusca foi composto por Lamartine Babo que também é foi o responsável pela composição dos hinos de outros 10 clubes do estado do Rio de Janeiro, inclusive os quatro maiores. Todos foram escritos no final da década de 40.

Há várias versões sobre como Lamartine escreveu os hinos, sendo que uma das mais divertidas é a de Sargentelli, sobrinho do compositor. Segundo ele, levaram Lamartine para um apartamento na Rua Senador Dantas, no Centro do Rio, onde tinha uma geladeira com comida para cinco ou seis dias. Ao chegar lá, dois seguranças avisaram que ele só poderia sair após escrever os hinos dos clubes de futebol.

Lalá, como era conhecido pelos mais íntimos, também era considerado o “Rei do Carnaval” por ter em seu currículo muitas das marchinhas mais famosas da época. Em seus trabalhos deixava muito evidente sua fixação por uma tal morena, ou mulata, como dizia em algumas de suas canções. Os mais antigos afirmam que se tratava de uma torcedora do Canto do Rio. Entretanto, Lamartine Babo nunca se casou. Morreu no dia 16 de junho de 1963, vítima de um infarto, deixando seu nome no rol dos grandes compositores da música brasileira.


Confira a letra do Hino do Cantusca:

 

Aquela morena do Canto do Rio

Que torce, faz cena e causa arrepio

Queimada da praia na hora do jogo

Ela desmaia e pega fogo (oi!)

 

Aquela morena do Canto do Rio

Que torce e se agita, garota bonita

Basta o clube empatar ela chora que dói

Foge de Niterói

 

No estádio formoso de Caio Martins

Há dias de gozo, foguetes clarins

De noite e de dia a turma sorri

Enche de alegria Icaraí (oi!)


Texto: Jaqueline Freires / Foto: Arquivo